Seja bem vindo ao Gyllenhaalics, um blog totalmente dedicado ao ator Jake Gyllenhaal, que é conhecido por grandes filmes como Donnie Darko, Soldado Anônimo, O Segredo de Brokeback Mountain, Zodíaco, O Abutre e muitos outros. Obrigado pela visita e aproveite!

Entrevista com Jake Gyllenhaal e Denis Villeneuve



Dois filmes marcantes estão chegando ao o circuito dos festivais de cinema em uma questão de dias: "Prisioners ", um thriller de crime emocional sobre a família, a perda e o pecado, e "Enemy", uma adaptação de da novela de José Saramago "O Homem Duplicado", que é um drama psicológico enigmático sobre a identidade, o subconsciente e o ego masculino. A conexão? Além de tom escuro, da perturbação de ambos os filmes, eles representam o trabalho de dois colaboradores - o cineasta canadense Denis Villeneuve e o ator Jake Gyllenhaal - que, como às vezes acontece com a parceria diretor / ator, parecem ter desbloqueado algo excepcional, enquanto estavam na companhia um do outro .

"Prisoners" já foi recebido com elogios no Festival de Cinema de Telluride, no Colorado último fim de semana, mas é "Enemy", um intenso psicológico mindbender[pessoa que fica o tempo todo preocupada, pode vir acompanhada de insônia] sósia com conotações psicossexuais, que realmente veio primeiro e gerou o que já se tornou uma colaboração emocionante, que sem dúvida levou cada um para criar o seu melhor trabalho até agora. Felizmente, ao longo da história do cinema, comprimentos de onda sintonizadas às vezes encontram um ao outro, e os dois homens parecem acreditar que foi o que aconteceu aqui, Gyllenhaal, em uma recente entrevista com a dupla, chamou de destino.

Sentindo-se introspectivo, e em uma encruzilhada em sua carreira, o ator se mudou de Los Angeles para Nova York, deixou a barba crescer e se jogou em produções off-Broadway. Então, quando ele se encontrou com Villeneuve para uma bebida em uma tarde de outono em Manhattan para discutir o roteiro "Enemy", ele estava à procura de algo novo e desafiador. Depois de uma discussão sobre um par de taças de vinho que, aparentemente, os deixaram bêbados, ele encontrou o que queria. Os dois se conectaram instantaneamente e não apenas por causa do script: "Quando nos encontramos foi como se eu econtrei um irmão mais velho", disse Gyllenhaal. "Como se eu tinha conhecido alguém que tinha muito mais experiência em sua vida e ao mesmo tempo estava pensando em questões semelhantes que eu: o que é ser um homem e como você se tornar um homem?" Villeneuve, descrito pelo ator como "carismático e amoroso e um pouco de um sedutor", disse simplesmente: "Foi o início de uma bela colaboração."

Forjado com uma textura emocionalmente complexa, "Enemy" também tem um desafio um pouco técnico em seu núcleo: Gyllenhaal tem que interpretar dois personagens- um professor da Universidade perturbado com uma relação tensa, principalmente sexual com a namorada, o outro um sósia idêntico, uma ator, que é casado e tem um bebê a caminho. É este sósia um irmão gêmeo? A imagem no espelho? Algo mais sinistro? "Enemy" explora as vidas inexoravelmente entrelaçadas destes dois homens para efeito emocionante. Mas acontece que o complicado ato de interpretar duas pessoas diferentes não era o fim do jogo para qualquer artista. "Há uma tendência de querer ineterpretar as duas partes de modo diferente, como" oportunidade "de atuar e isso nunca foi a intenção de Denis", disse Gyllenhaal, observando que as semelhanças sutis entre cada homem era muito mais interessante para explorar.

Na verdade, Villeneuve foi atraído pelo material por causa das oportunidades psicológicos que mostrou, ao invés de seu conceito evidente. "Houve uma espécie de sentimento de 'Vertigo'", disse o diretor, sem querer, mas de forma adequada referenciando à obra-prima de Hitchcock que investiga temas semelhantes de dualidade e identidade. "Esse tipo de ambigüidade e esse tipo de mistério que foi capaz de abrir uma porta para ir dentro de mim. Eu queria abrir as portas de sentimentos desconhecidos que são desconfortáveis ​​e misteriosos."

"Enemy" foi tão bem que, quando Villeneuve começou a preparação para "Prisoners", ele imediatamente pensou em trabalhar com Gyllenhaal novamente, dessa vez para o papel de Loki, um detetive resolutamente determinado que questiona as verdades de todos. "Foi mais do que uma colaboração. Foi o nascimento de uma verdadeira amizade", disse Villeneuve "E é mais como irmãos, um amor e ódio o que significa que estamos unidos." Portanto, não é necessariamente fácil : "Muitas vezes, os atores precisam de um tipo de acidente vascular cerebral de ego", admitiu Gyllenhaal, "porque somos tão sensíveis como uma raça. [Mas] o que eu acho ser muito reconfortante é uma espécie de honestidade brutal. Sei que às vezes não é fácil de ouvir, mas [com Denis] é uma conversa aberta, onde eu nunca senti medo de ser o meu melhor e meu pior ... Grandes diretores sabem como chegar lá, é como domar um cavalo ".

Enervante em seu tom meticulosamente controlada, "Enemy", que conta com Mélanie Laurent, Sarah Gadon e Isabella Rossellini , é uma peça difícil que funciona como um thriller psicológico complexo e, também, para aqueles que gostam de ir mais fundo, como uma meditação do sonho no inconsciente, na ordem e caos, no id e ego, e como eles são um impacto sobre o nosso frágil senso de identidade. "Sempre que eu tentei descrever isso, eu sempre disse:" Eu me pergunto se você sequer chamá-lo de um filme ", Gyllenhaal confirma." De certa forma você chamaria isso de uma experiência. "No entanto, a próxima vez que eles trabalharem juntos (o que realmente parece ser uma inevitabilidade para Villeneuve que declarou em um ponto: "Eu adoraria fazer todos os meus filmes com Jake"), que terá um peso maior na expectativa. Talvez eles querem subvertê-la e fazer uma comédia? "Um musical, que será o nosso próximo projeto", Gyllenhaal riu. Villeneuve discorda: "Acho que vai ser um filme violento sobre o inconsciente de novo.", que, na evidência de "Prisoners" e "Enemy", é absolutamente bom por nós.

"Enemy" faz sua estréia mundial no Festival Internacional de Cinema de Toronto no domingo, 8 de setembro.

Fonte: The Playlist

Hugh Jackman tuitou agora há pouco uma foto dele com Jake:

Não só um grande ator, mas um grande camarada. #Prisoners #Jake #AmazingTalent





Um comentário:

  1. Eu aqui ansiosa depois de tantos elogios ,agora que eu reparei que a data de estreia já mudou . E a de An Enemy nem data tem mais ,ninguém merece!!!!

    ResponderExcluir