Seja bem vindo ao Gyllenhaalics, um blog totalmente dedicado ao ator Jake Gyllenhaal, que é conhecido por grandes filmes como Donnie Darko, Soldado Anônimo, O Segredo de Brokeback Mountain, Zodíaco, O Abutre e muitos outros. Obrigado pela visita e aproveite!

Entrevista com Jake Gyllenhaal e Hugh Jackman

Nenhum comentário

Scans da entrevista para a revista Total Film:


Tradução da entrevista:

Vocês dois interpretam personagens muito diferentes...

Hugh Jackman: Nós nos estabelecemos como uma espécie de sobrevivência; ele é um tipo de personalidade que quer estar no controle de tudo. Eu certamente não entendo todo o seu 'Eu faria qualquer coisa para ter minha filha de volta', claro, eu entendo. Mas eu tenho um temperamento diferente. Eu não sou um cara fora do controle!

Jake Gyllenhaal: Eu diria que meu personagem, detetive Loki, engloba a parte mais cerebral da história. Ele é os olhos do público no sentindo de que qualquer um pode ser os suspeito, qualquer um deles pode ter cometido este crime... talvez até ele. Ele é alguém que vai fazer todas as perguntas que o público está se perguntando. Ele também trabalha como a única pessoa que é profundamente fascinado pela mente do crime.

HJ: Os dois personagens não tem muitas cenas juntos, mas eles estão em uma rota de colisão pq eles estão tentando manter um longe do outro. Eu adorei trabalhar com Jake. Primeiro, ele é incrivelmente talentoso. Ele era o que mantinha lembrando a todos nós que deveríamos ficar de olho nos momentos em que os personagens podem se conectar, mesmo que eles sejam quase inimigos. Porque o que acontece nessas situações é que as pessoas precisam de outras pessoas por causa de muitas razões. E acho que nós conseguimos fazer um bom trabalho em um pequeno número de cenas que mostraram essa ligação.

JG: Eu acho que a dificuldade com a situação de Loki é que ele não quer se envolver emocionalmente; então quando digo cerebral eu não quero dizer que tudo é cérebro, mas ele tem que resistir às emoções e manter os fatos. Denis Villeneuve e eu falamos muito sobre como Loki tem que manter as coisas sob controle, pois, lidar com o tipo de pessoas que ele tem de lidar aqui, ele poderia facilmente se tornar violento. E isso é mostrado em momentos em que ele não tem certeza ou está certo sobre algo.

Foi um filme difícil de fazer?

HJ: Algumas vezes me senti doente do estômago apenas andando nos sets! Porque o filme me forçou a ir a lugares que é o maior pesadelo para os pais. Tem algumas cenas que certamente foram difíceis de fazer e não fáceis de se assistir. O nível de intensidade foi muito alto. Mas para ser honesto a parte mais difícil foi pesquisar. Obviamente eu queria um número de muitas coisas específicas, que acontece neste tipo de situação, o que você iria passar. Há privação de sono por uma coisa; esta história tem lugar durante sete ou oito dias, de modo que é parte dela.

JG: A pesquisa foi difícil. Eu sei sobre o trabalho policial por causa da minha experiência fazendo End of Watch, e para este eu falei com detetives e pessoas que resolvem esses tipos de crimes, que me deram uma visão real. Eu li muitos livros e assisti horas e horas de interrogação.

HJ: Assistindo vídeos e ouvindo histórias foi uma drenagem. Isso foi definitivamente acordar. Durante a minha pesquisa, havia um cara que encontrei que era um investigador de homicídios durante toda a carreira. Ele disse que investigou mais de 500 homicídios e mesmo assim ele não se lembrava de todos eles, mas quando envolvia crianças, ele se lembrava de cada detalhe. Nós estávamos lidando com algo que afetava as pessoas em cada nível.

JG: Eu gosto de fazer muita pesquisa para que eu possa improvisar durante as filmagens. Em qualquer cena eu posso vir com perguntas para os outros personagens que pode deixá-los sem respostas. Hugh adorava isso. Há personagens que são difíceis de se fazer isso, mas eu sempre tento e pego eles na mentira. O que é divertido é que se um ator conhece seu personagem bem eles vão responder as perguntas e manipular você da mesma maneira.

HJ: Jake e eu gostamos de trabalhar do mesmo modo, desde o começo pesquisamos muito, e não tivemos medo de falar sobre uma cena... muito, na verdade. Sempre íamos no trailer um do outro o tempo todo, indo mais em mais coisas. Quando você está trabalhando com um grande ator como Jake, não é assim, "Sim, nós temos essa cena! ', é mais como,' Vamos continuar a trabalhar isso, vamos continuar encontrando mais coisas. Nós improvisamos muito.

JG: Minha parte termina de modo diferente de como foi originalmente escrita. Quando me ofereceram pela primeira vez eu disse: 'Olha, eu acho que essa é uma história interessante, mas o que eu estou mais fascinado é com a mentalidade de uma pessoa que gostaria de resolver um caso como este. Acho que gostaria de resolver o caso como este. Eu acho que nós normalmente queremos que a pessoa a ser conservador e certinho e que era uma espécie de como ele foi escrito. Mas, como nós evoluímos o personagem e a descoberta de quem ele era, começamos a perceber que havia uma escuridão real dentro dele que lhe permitiu ter esse fascínio com este mundo, e que me deixou muito animado.

HJ: O personagem de Jake mudou muito. Ele realmente colocou muita coisa durante o processo e muito do que você vê na tela não estava originalmente ali. Eu penso que ele foi muito bem humanizado. Ele não mostra apenas uma semana na vida do personagem, mas como essa semana o mudou. Ele é um investigador mas ele luta com a própria vida para se conectar com as pessoas e acho que Jake o interpretou em um modo tridimensional.

Dado o assunto difícil, vocês acham que o filme vai provocar um monte de debate?

HJ: Eu faço, e eu acho que é pra ser provocativo. Denis não se coíbe da violência, às vezes, o que é desconfortável. Acho que o filme é desconfortável para assistir em muitos momentos e é assim que deve ser. Trata-se de assuntos que são muito atuais agora - a tortura, e a questão de saber se o fim justifica os meios.

JG: Eu acho que o tema essencial do filme é a vingança e o que isso gera. A jornada começa muito pessoal para o personagem de Hugh, muito pessoal para meu personagem e eventualmente nós temos que confrontar as crianças dentro de nós, assim como as crianças que precisamos encontrar.


É denominado como um romance policial ... ele mantém você adivinhar até o fim?

HJ: Oh sim. Faz. De muitas maneiras. Há algumas reviravoltas e no que se transforma. Roger Deakins [diretor de fotografia] filmou isso, e o tom de Denis no set... se sente mais real e substancial do que você viu na maioria dos thrillers.

JG: Eu acho que o interessante é que, assim como este aspecto é romance policial, ele também coloca um ponto de interrogação sobre o comportamento de todos. Ele analisa as respostas de cada personagem com a situação, mas que é o tipo certo de comportamento quando você está lidando com algo parecido com isso. Quais são as soluções para algo tão horrível?


Jake, você também trabalhou com Denis em Enemy, que parece ser diferente de Prisoners...

JG: Muito diferente. Será que posso comparar com qualquer coisa? Inferno. Não. Eu não sei. Isso não é de nenhum modo convencional. É muito inconsciente, é como se o filme fosse um sonho...Eu não sei se posso chamar isso de filme. É uma experiência louca. Eu acho que assistir isso vai ser uma experiência.

O que vocês aprenderam com Prisoners?

JG: Eu aprendi muito. Eu acho que grande parte do meu trabalho é que se você quer, você vai aprender muito  sobre o mundo; você pode ir e fazer isso e aprender muito sobre si. Eu tipo que faço piada sobre isso, mas depois de fazer End of Watch, eu nunca mais peguei o metrô da mesma forma. E depois de fazer esse filme, eu definitivamente estou segurando as mãos das criança que eu amo na minha vida com mais força.

HJ: Quando você está fazendo essas coisas há um tipo estranho de catarse. O dia pode acabar esgotado, mas você pode se sentir feliz porque havia um grande fluxo no set. É assim que foi com isso. Felizmente para a minha família, eu estava filmando em locação, por isso durante a semana eu não teria que vê-los - que foi bom, porque eu não tenho muito que deixar até o final do dia! Já viu o filme? Eu assisti com minha esposa e ela achou difícil de assistir, mas realmente gostou. Meus filhos não vão ver este filme ...

Fonte: IHJ

Tradução da entrevista com Jake Gyllenhaal para a revista GQ Alemã

Nenhum comentário



Jake Gyllenhaal é um dos homens mais belos de Hollywood. Vestido com esmero no trabalho. Em privado, ele não poderia me importar menos para a moda. É por isso que nós conversamos com ele sobre questões menos importantes: dinheiro, por exemplo.

Criado em uma família de cineastas, o primeiro trabalho foi aos 11. Jake Gyllenhaal tem apenas 32, mas seu 25º filme, chamado "Prisoners", está prestes a ser lançado. Claro que poderíamos falar sobre isso. Mas não vamos (ou tanto quanto queríamos). Queremos conhecer melhor o homem por trás dos papéis. Por exemplo, como é que ele consegue parecer tão legal o tempo todo?

Jake Gyllenhaal demonstra o quão pouco um homem bonito tem que fazer para parecer sexy neste dia de verão quente e úmido em um hotel em Nova York. Ele vestiu uma camiseta desbotada azul escuro, calça jeans desgastadas e um velho par de Clarks. No entanto, a roupa parece sob medida, as roupas encaixam como uma luva. T-shirt, jeans e Clarks - é assim que Gyllenhaal geralmente sai de seu apartamento no verão.

A lista de favoritos sobre Jake Gyllenhaal no Stylebistro.com - um site que analisa as roupas favoritas das celebridades com base em fotos de paparazzi - é proporcionalmente curta. Muitas vezes ele usa camisas xadrez com óculos de aviador, no inverno é um cachecol de lã grossa com uma jaqueta esporte tweed. Ele é visto em ternos ou smockings somente quando está em uma festa do Oscar ou em stréias de filmes.

Quando você tenta pesquisar seriamente os arquivos, como o que Gyllenhaal usa, você vai encontrar muito pouco sobre isso, mas em vez disso você encontrará todas sobre as mulheres desempenharam um papel vital na sua vida nos últimos 10 a 12 anos: Reese Witherspoon , Anne Hathaway, Kirsten Dunst. Em março o boato dizia que ele estava namorando a modelo Emily DiDonato. Em julho os tablóides informaram que ele está agora com Alyssa Miller.

Gyllenhaal, 32 anos, é mais alto do que ele parece em seus filmes. Talvez porque até recentemente ele interpretou rapazes no limiar da idade adulta. Tipos que eram mais jovens e ingênuos do que Gyllenhaal, seguido de um vaqueiro, que foi acampar com um amigo (Brokeback Mountain), um príncipe com uma espada de grandes dimensões (Prince of Persia), um vendedor de Viagra (Amor e Outras Drogas).

Somente nos últimos anos Gyllenhaal interpretou personagens, onde ele atua como um homem adulto. A história de como ele patrulhou com policiais reais em South Central em Los Angeles por meses, tiroteios e ver um homem sangrar até a morte, a fim de preparar-se para "End of Watch". Então, vamos falar de outra coisa primeiro.

Sr. Gyllenhaal - Gyllenhaal, que tipo de nome é esse, afinal?

Meu pai descende da família sueca Gyllenhaal, uma linhagem nobre que meu antepassado Nils Gunnarsson Haal estabeleceu no século 17 e que tem sido muito influente na Suécia por um longo tempo. Meu bisavô emigrou para os EUA. Mas eu me vejo como um judeu desde que minha mãe é um russo-judaica de New York.

GQ Style: é tudo sobre moda. Quanto tempo você passa na parte da manhã para escolher suas roupas?

Não muito. Vamos dizer: um minuto.

Quão importantes é os braços bem tonificados quando se veste camisetas e camisas de botão manga curta?

Eu amo artes marciais - karatê, capoeira, kick boxing, kung fu. É por isso que eu gasto um monte de vezes na academia e eu tenho os braços firmes. Mas esses braços são de modo algum uma declaração de moda.

Você já foi a um desfile de moda antes?

Não, eu não fui.

Você tem um assistente, quando se trata de moda?

Não.

Ou um designer favorito?

Não.

Qual é o acessório mais importante para um homem?

A única coisa que é importante para um homem: ele tem que estar de acordo com o que ele faz. Todo o resto virá por conta própria

Você está em conformidade com a sua carreira?

Absolutamente.

Você pode resumir o seu mais recente filme "Prisoners" em uma frase?

Duas crianças desaparecem e meu personagem, Detetive Loki, tem que encontrá-las. Mas o pai não está descontente com o trabalho de Loki e o caso se transforma em uma espiral de ódio e violência. O tema do filme é o absurdo da vingança.

São três frases.

Está certo.

Hollywood está fazendo filmes cada vez menos sofisticados a cada ano. E os filmes que estão sendo feitas são principalmente explosões e CGI. É muito divertido ser uma estrela de Hollywood, Sr. Gyllenhaal?

Você está certo, a rivalidade em torno dos papéis interessantes fica mais agressivo. É por isso que nós fomos capazes de conseguir Hugh Jackman para um projeto de baixo orçamento como "Prisoners", embora ele poderia pedir 20 milhões para qualquer outro filme. Melissa Leo, Paul Dano e Maria Bello foram contratados também. Isso é que é cada vez mais importante para mim: eu quero trabalhar com uma equipe muito boa e me divertir.

Você se vê como um jogador do time?

Em qualquer caso, eu fiquei muito agitado quando eu sentia ser rotulado como uma "celebridade". Eu não quero trabalhar em certos papéis em filmes caros, porque eu sou bem conhecido. O que eu estou realmente interessado é no trabalho de ator. Isso significa compreender o mundo do trabalho em equipe, bem como: diretores de fotografia, maquiadores, figurinistas. Tenho muita sorte, mas agora eu só quero ser parte de um grupo de trabalho. Resumindo: sim, a equipe é a chave.

Por que é tão difícil fazer um bom filme?

Eu tenho feito isso por 20 anos e agora eu não tenho absolutamente nenhuma idéia. Às vezes você acha que está tudo perfeito - e, em seguida, você está decepcionado com o produto acabado. Comigo geralmente começa com um sentimento, uma energia que eu sinto quando leio o script.

Quantos os scripts que você lê diariamente?

Pelo menos dois.

Quantos deles são interessantes?

Acho que todos eles são interessantes. Mesmo aqueles que eu nunca iria fazer. Minha mãe escreve scripts, meu pai é um diretor e eu sei quanto tempo e esforço se dá em cada script. Eu valorizo ​​as idéias, os conflitos, o ofício do escritor.

O que um roteiro precisa ter para que você se sinta animado e concorde em fazê-lo?

Eu não poderia dizer. Tem muito a ver com o timing. E o jeito que você entrar em contato com o outro. Denis Villeneuve, o diretor de "Prisoners" me deu o roteiro e queria falar sobre isso. Eu gostei quando ele pediu para minhas idéias. Não acontece com muita freqüência.

Também está no próximo filme "Enemy" de Villeneuve. Questão de confiança?

Sim, você precisa confiar uns nos outros. Cada projeto é um animal perigoso para todos os atores que não tem nenhuma influência sobre a forma como a equipe irá trabalhar e como o produtor ficará no final.

Existe essa história de que você pediu para se encontrar com os produtores de "End of Watch" depois de ler o roteiro - mesmo que nunca pensou que eles iriam lhe oferecer o papel. Então você teve que lutar pelos melhores papéis

Claro. Todo mundo quer essas raras oportunidades que realmente desafiam um ator. É uma competição difícil. Ninguém em Hollywood deve esperar que o papel dos seus sonhos venha voando para ele.

Qual foi o filme mais idiota que já te ofereceram?

Essa é difícil de responder, porque há um monte de idéias idiotas lá fora. E eu também não quero insultar ninguém.

Seu trabalho tem um lado econômico: para contratar um ator depende de como seu último filme fez tão bem nas bilheterias. Como você lida com o fato de que você parece ter um preço em torno de seu pescoço, que nunca pode ler "Vende-se"?

Eu não penso sobre isso ou eu ficarei louco.

Você está olhando nervosamente para os índices de faturamento no fim de semana de abertura?

Sim. Embora seja bastante inútil já que não posso influenciá-lo. Todo ator tem que entender que o cinema é sobre dinheiro. Alguém lhe deu dinheiro para fazer um filme e ele vai querer o dinheiro de volta em um ponto - com considerável interesse. Se você não pode aceitar isso, Hollywood não é o lugar certo para você.

A constatação dolorosa?

Não. Você tem que distinguir entre as exigências de um trabalho - e como exercê-la. Enquanto eu trabalho, eu nunca pensei que eu preciso fazer esta ou aquela decisão para que as pessoas venham ao cinema mais tarde. Só posso apostar. Minha moeda não é dinheiro, é a criatividade. O dinheiro deve apenas importar para as pessoas a quem o dinheiro é importante.

Será que o dinheiro não lhe interessa, afinal?

Vamos dizer que não é nenhuma das minhas paixões para comprar coisas. Eu nem sequer penso nisso.


Entrevista tirada GQ Style (Alemanha) 2013.

Scans: IHJ

Tradução: Sasha.

Prisoners será exibido no Festival de Telluride

Nenhum comentário

Foi anunciado hoje que Prisoners será exibido neste fim de semana no pequeno, mas muito importante, Festival de Cinema de Telluride:



Também no piquenique do Telluride Film Festival estava o diretor de Prisioneiros, Denis Villeneuve, e seus produtores da Alcon Andrew Kosove e Kira Davis. O trio está esperando ansiosamente a reação do festival ao seu suspense incrivelmente tenso. Eu tinha especulado que teria uma exibição surpresa do filme aqui e, de fato, vai ocorrer. O filme  foi oficialmente anunciado como uma das sessões de sexta à noite. Disseram-me que as estrelas de Prisoners Hugh Jackman, que está no Japão promovendo Wolverine, e Jake Gyllenhaal, que está trabalhando em um novo filme, não poderão fazer a caminhada até Telluride. Mas ambos estarão na estréia de Toronto na próxima semana, junto com o resto do elenco impressionante. Villeneuve não é um estranho em Telluride. Ele esteve aqui em 2010 com Incendies.

Fonte: deadline

Fotos de Jake em Nova York:



Jake para GQ Alemã:

  

Fonte: IHJ

Novas imagens oficiais do filme Enemy

Nenhum comentário

Divulgadas novas imagens oficiais do filme Enemy:


Jake e Sarah Gadon:


Jake e Melanie Laurent:

Fonte: IHJ

Entrevista com Jake Gyllenhaal

Nenhum comentário

Trecho de uma entrevista com Jake para a verão alemã da revista GQ:



A privada estrela de Hollywood e 32 anos, que é considerado um dos homens mais elegantes, diz que a moda era para ele é uma questão menor. "A única coisa que importa para um homem: ele é o que ele faz. Tudo o resto vem por si só ", diz Gyllenhaal em uma entrevista.

O que importa, acima de tudo para Gyllenhaal, é para ser levado a sério como um ator, "eu respondi de maneira alérgica quando eu recebi uma proposta que ameaçou acabar em uma gaveta, onde se lê: 'Celebridade'. Eu não aceitei por causa de minha experiência em produções de grande orçamento. O que realmente me interessa é a atuação", explica Jake Gyllenhaal.



O que o incentiva são os personagens que são exigentes - assim, esses papéis raros, são frequentemente procurados pelos seus colegas atores: "Está certo que a concorrência para os papéis interessantes é mais agressiva. Todos querem os mesmos papéis raros que exigem, na verdade, um ator. Esta é uma competição difícil. Ninguém em Hollywood pode esperar para fazer o papel dos sonhos. "

No mundo do cinema, além da arte tudo é lucro: "Eu nunca pensei, enquanto trabalhava, que eu tinha que fazer esta ou aquela decisão, para que mais pessoas venham ao cinema. Eu só posso tentar fazer o meu melhor. Minha moeda não é dinheiro, mas a minha criatividade."

No entanto, ele não tinha nenhuma receita pronta para filmes de sucesso. "Estou aqui há mais de 20 anos, e minha resposta é: Eu não tenho absolutamente nenhuma idéia. Às vezes você pensa que tudo vai dar certo - e, em seguida, você está decepcionado como filme acabou. Começa sempre com um sentimento, com uma energia que eu sinto quando leio um script."

Fonte: klatsch

Elle chinesa

Jake está na capa da versão chinesa da revista ELLE:


Fonte: IHJ

Jake Gyllenhaal é um dos entrevistados do Inside The Actor's Studio

Nenhum comentário

Como publicado anteriormente aqui, Jake Gyllenhaal gravou uma participação no programa Inside Actor's Studio, agora o The Wrap dá mais detalhes sobre o que vamos ver:


Será Jake Gyllenhaal contra James Lipton em "Inside The Actor's Studio".

O ator se sentou para uma entrevista de longa duração em um programa que será exibido no dia 19 setembro pela tv americana[poderá ser visto online também].

Em sua primeira vez, o ator falou sobre seus filmes "O Segredo de Brokeback Mountain", "Céu de Outubro", "Donnie Darko", "Marcados para Morrer", e sobre "Prisoners".

Além disso, ele falou sobre sua família famosa e revisitou sua amizade com o falecido amigo e colega de trabalho Heath Ledger.

Atualmente nomeado para seu 16 ª prêmio Emmy, "Inside The Actor's Studio" estreou em 1994 e acaba de celebrar seu 250º episódio em maio. Os convidados recentes incluíram Tina Fey, Liam Neeson e Hugh Jackman.

Fonte: thewrap

O programa é exibido no Brasil pelo canal Films & Arts.

Novo tv spot do filme Prisoners

Nenhum comentário





Clipe: Jake Gyllenhaal e Paul Dano no filme Prisoners

Nenhum comentário

Trecho de uma cena do filme Prisoners envolvendo os personagens de Jake Gyllenhaal e Paul Dano:

Passeio em Nova York

Nenhum comentário

Jake Gyllenhaal e Alyssa Miller durante um passeio no Soho:



Fonte: IHJ

Festival de Toronto sobre Prisoners e Enemy

2 comentários

Com premiere mundial marcada para 06 de setembro no Festival de Toronto, o diretor artístico do festival postou os pensamentos dele sobre Prisoners:



Jake Gyllenhaal e Hugh Jackman estrelam este thriller emocionante de Denis Villeneuve ( Incendies ), que segue uma investigação sobre o chocante desaparecimento de duas meninas - e o ato de vigilantismo que podem acelerar ou atrapalhar as rodas da justiça.

Com uma indicação ao Oscar por Incendies e uma lista inteira de fortes filmes independentes por trás dele, Denis Villeneuve (cujo Enemy está também no Festival) estava claramente pronto para coisas maiores. E, no entanto ainda é uma surpresa  a experiência com Prisoners . Tenso, controlado, preciso e de alto impacto, este é o cinema de Hollywood no seu melhor. Trabalhando com um elenco dos sonhos liderado por Hugh Jackman e Jake Gyllenhaal, Villeneuve se mostra igual a melhores diretores de estúdio de hoje.

Em um nublado dia de Ação de Graças no subúrbio de Massachusetts, duas famílias vizinhas se reúnem para o jantar. Alimentos, bebidas, jogos e histórias são compartilhados. Mas como a festa começa a desacelerar, as filhas mais novas de cada família estão longe de serem encontradas. Pânico toma conta dos pais que se lembram de um misterioso trailer que estava estacionado em sua rua no início do dia. O que aconteceu com as crianças?

Gyllenhaal interpreta o detetive investigando o desaparecimento. Embora o seu trabalho contra logo um suspeito na forma de um jovem desajustado (Paul Dano), um caso sólido de prova ilusória. Ele começa o trabalho duro para coletar evidências, mas sua calma determinação é demais para os pais das meninas, que sofrem cada hora que passa com o aumento do pânico. Não é muito antes do pai de uma das meninas (Hugh Jackman) decide levar ambos a caça e o castigo em suas próprias mãos.

Com um enredo que avança através da surpresa e lógica, Prisoners, de forma consistente, envolve a mente e o intestino. Além de Jackman e Jake Gyllenhaal, Terrence Howard, Viola Davis, Maria Bello e Melissa Leo dão performances muito bem calibradas. E a combinação de sensação de Villeneuve para o ritmo dramático e imagens friamente perfeitas de Roger Deakins, produz um resultado potente. Prisoners tem seus momentos perturbadores, mas este é um thriller inteligente, polido que sabe exatamente como e quando envolver uma tensão. 

A estreia de Enemy no Festival de Toronto ocorrerá no dia 08 de setembro. Aqui está o que o festival tinha a dizer sobre o filme:


Jake Gyllenhaal, Mélanie Laurent ( Bastardos Inglórios ) e Sarah Gadon ( Cosmopolis) estão no novo filme do indicado ao Oscar Denis Villeneuve ( Incendies ), uma brilhante adaptação do romance O Homem Duplicado do autor vencedor do Prêmio Nobel José Saramago.

Brilhantemente adaptado da novela O Homem Duplicado do vencedor do Prêmio Nobel José Saramago, o mais recente indicado ao Oscar Denis Villeneuve dá nova vida à tradição doppelgänger(sósia), com uma assombrada abordagem hipnótica, surreal que reafirma o diretor como um dos contadores de histórias mais qualificados da nossa geração.

Adam Bell (Jake Gyllenhaal) é um mal-humorado, descabelado professor de história, que parece desinteressado, mesmo em relações sexuais com sua bela namorada, Mary (Mélanie Laurent). Assistindo a um filme recomendando por um colega, Adam vê seu sósia, um ator chamado Anthony Clair, em um pequeno papel, e decide investigá-lo - uma aventura que ele muito aprecia. Os homens idênticos se encontram, e suas vidas se tornam estranhamente e irrevogavelmente entrelaçadas.

Situado entre os arranha-céus de Toronto, acentuados por uma paleta de cores de um suave marrom e notas discordantes de um violoncelo, o mundo de Enemy mostra sinais de que está escondendo algo profundamente errado sob seus vítreos e superfícies opacas. Pesadelos flutuam na tela, e como eles começam a sangrar na realidade, a verdade se torna ainda mais incompreensível.

Gyllenhaal é transfixante como Adam e Anthony, gerando empatia, bem como a desaprovação enquanto incorporando duas personas distintas. . Ele é apoiado por um excelente elenco pequeno, incluindo Sarah Gadon (vencedora do Rising Star 2011 em Tiff) como a esposa grávida de Anthony. Enemy marca a impressionante incursão de Villeneuve no cinema de língua inglesa . Com maestria controlando atenção ao detalhe, Villeneuve nos leva em uma jornada enigmática e emocionante através de um mundo que é ao mesmo tempo familiar e estranho - e difícil de sacudir muito tempo depois seu final, imagem enervante.

Fonte: tiff.net

Actor's Studio

Hoje a noite Jake irá gravar uma participação no programa Inside The Actor's Studio. A gravação ocorrerá na Universidade Pace em Nova York.

Jake vai falar sobre a carreira diante de uma platéia de atores em formação.

Fonte: https://twitter.com/paceuniversity

No centro médico

2 comentários




Para ver mais: IHJ

Almoço com um amigo

Nenhum comentário

Jake Gyllenhaal e o diretor de Nightcrawler, Dan Gilroy, depois de um almoço no Real Food Daily em West Hollywood:



Para ver mais: IHJ

Novas imagens do filme Prisoners

Nenhum comentário



Fonte: The Playlist

De volta ao médico

Um comentário

Jake Gyllenhaal está de volta ao lugar favorito dele: o centro médico!



Ele também foi fotografado jantando com um amigo em Los Angeles:





Fonte: IHJ