Seja bem vindo ao Gyllenhaalics, um blog totalmente dedicado ao ator Jake Gyllenhaal, que é conhecido por grandes filmes como Donnie Darko, Soldado Anônimo, O Segredo de Brokeback Mountain, Zodíaco, O Abutre e muitos outros. Obrigado pela visita e aproveite!

Novo comentário sobre Love And The Other Drugs

2 comentários

De alguém no imdb:

Há uma série de subtramas , mas eu acredito que o público irá gostar. Houve dois momentos em que o teatro explodiu em gargalhadas, tanto que algumas piadas rápidas podem ter sido perdidas devido ao barulho ensurdecedor. O teatro inteiro aplaudiu e algumas pessoas falaram sobre seu apreço pelo filme. Depois da exibição, todo mundo estava falando uns com os outros sobre o filme. Os organizadores foram girando seus polegares para cima, mostrando satisfação com a reação da multidão.

A Origem (Inception) foi um bom filme , mas poderia ter sido melhor em alguns aspectos. Eu não acredito que Love And The Other Drugs poderia ter sido melhor. Mas esteja avisado que tem uma abordagem diferente para o seu estilo de direção. O filme se sente ao contrário dos filmes que vemos agora.


Fonte: IMDB


Fotos

Enquanto Jake está desfrutando das férias em Martha's Vineyard, o ihj adicionou algumas imagens antigas, mas inéditas, de uma sessão de fotos:






Para ver mais: ihj

Pequena resenha de Love And The Other Drugs

Nenhum comentário

Ontem à noite ocorreu mais uma exibição-teste de Love And The Other Drugs. Dessa vez foi no estado do Kansas. Uma pessoa que estava na exibição, publicou em seu blog uma pequena resenha sobre o que achou do filme. Fiz uns cortes para evitar os spoilers:




Filme.Comédia Romântica . Estas são palavras que farão encolher qualquer homem quando proferidas por sua namorada. Eu sei . Quando minha namorada mencionou o convite para uma seleção avançada de uma nova comédia romântica uu quase disse a ela para levar um amigo. Estou contente que não fiz. ...

Este filme foi de longe a melhor comédia romântica que já vi. É inteligente , sensual, atrevida e divertida. A química entre Gyllenhaal e Hathaway funciona muito bem , e seu relacionamento era muito verossímil. O personagem de Josh Gad foi o tipo atrevido, inspirado em um personagem de "Se Beber Não Case", necessário para manter a metade masculina do casal interessado[ele está se referindo aos casais que irão ver esse filme]. O roteirista/diretor Ed Zwick adaptou o romance de Jamie Reidy, Hard Sell : The Evolution of a Salesman Viagra, muito bem para a tela grande e me fez querer ler o livro. Eu sei, o filme nunca é tão bom. Em geral, o filme funcionou, o elenco , incluindo Azaria e Platt foram perfeitamente escolhidos, e gostaria de recomendá-lo totalmente .

Esperemos que Love And The Other Drugs faz bem nas bilheterias e crie uma nova tendência para as comédias românticas, trabalhando para ambos os sexos.

Eu dou para Love And The Other Drugs 4 1/2 de 5.


Se vc deseja ler toda a resenha, clique aqui: Shep 913

Duncan Jones sobre Source Code

Nenhum comentário

O diretor Duncan Jones falou com exclusividade sobre o filme Source Code para o blog Man Made Movies:



Em janeiro, você "blogou" aqui sobre o início do processo de Source Code. Você pode nos dizer um pouco mais o sobre o que ocorreu após isso, a experiência(que você adquiriu] no trabalho, a aprendizagem, o elenco, controlando uma segunda unidade em Chicago e etc.?

Foi uma mudança radical do modo como costumava trabalhar, mas eu acho que fiz um bom ajuste. Tudo faz sentido, quando você pensa sobre isso. Com mais dinheiro, há mais cuidado, mais conselhos, mais sugestões, e durante toda a filmagem, tinha que ficar me lembrando que fui convidado para dirigir o filme porque as pessoas encarregadas confiaram em minhas escolhas. Acho que foi realmente quando tudo mudou. No começo isso foi um pouco opressivo, eu quase me perdi[não é a tradução correta], mas eu me estruturei rapidamente, e felizmente estava sendo apoiado pelo incrivelmente gentil e talentoso Jake G, que realmente estava atrás de mim e confiou nos meus instintos. Teria sido fácil para perder a minha perspectiva, com tudo que estava sendo oferecido.





A edição de Source Code começou no dia 17 de maio, como tem sido essa experiência, se mudando para Los Angeles, trabalhando com uma lenda como Paul Hirsch?

Agora, há uma perspectiva com que posso viver! Paul Hirsch está lá como uma parte importante da história moderna do cinema americano. Se eles conseguirem esculpir um monte Rushmore com as pessoas do cinema, seu rosto deverá estar lá em cima ... Se você não sabe quem ele é, e você trabalha no cinema, é vergonha! Star Wars - O Império Contra Ataca, Curtindo a Vida Adoidado, Ray , Missão Impossível ... só para citar alguns . Vá procurá-lo, mas não olhe nos olhos dele ! Ele é muito brilhante para o nosso gosto !


Em que parte [do filme] você está no processo de edição agora, estamos começando a obter , obviamente, pessoas perguntando quando eles vão ver um trailer, se há uma data de lançamento, etc?

Bem, eu acho que é seguro dizer que o filme será lançado no próximo ano. Minha edição está completa, e nós estamos trabalhando duro nos efeitos especiais, na escolha de um compositor e tentando mostrar o filme para algumas pessoas só para ver como ele está indo. Temos muito a fazer realmente, mas tudo vem junto, e eu estou nas mãos capazes de Paul "Mount Rushmore " Hirsch !



Até o momento, não vimos nenhuma foto oficial, ou mesmo um único still de SC, isso é uma coisa consciente? Mais e mais filmes estes dias parecem começar a divulgar o material promocional antes e no início das filmagens.

Absolutamente. Nós mostramos muito cedo Lunar . As pessoas sabiam mais do que deveria apenas ao ver o trailer. Acho que para um filme pequeno como Lunar, foi provavelmente a decisão certa, mas este filme é um pouco maior , e eu penso que nós podemos nos dar ao luxo de manter nossas fichas um pouco mais perto de nosso peito. Eu me sinto muito mais confortável com isso, porque isso significa que quando fizermos o material de divulgação, vamos ter a oportunidade realmente de trabalhar nisso, pensar nisso e se certificar de que realmente está dando a todos uma boa noção do que estamos tentando fazer. Source Code é muito diferente do que Lunar foi ... um pouco diferente de um monte de filmes, para ser honesto, estou esperando e quando estivermos prontos para mostrar às pessoas, a paciência será recompensada.





Estamos todos ansiosos por Source Code, especialmente após o grande "empurrão" de Jake Gyllenhaal ao ser entrevistado durante a turnê promocional de POP, se você pudesse retirar uma parte, como Worzel Gummidge, e colocá-la na cabeça do público, o que você pensa de tudo que você conseguiu?

Muito próximo a ele , para ser honesto ! Eu sei que em termos de atuação temos algumas grandes coisas de Jake, Michelle, Vera e Jeffrey. Eu sei que o roteiro foi sempre apertado, e o filme tem um inferno de um ritmo rápido para ele. Eu sei que eu fiz o meu melhor para injetar um pouco de humor, onde pude. Mas além disso, nós flutuamos, no turbilhão da pós-produção agora!

A trilha original pode acrescentar muito à experiência de se assistir a um filme , qualquer notícia sobre quem irá trabalhar na trilha de Source Code (Obviamente estamos esperando por mais uma mágica de [Clint] Mansell)

Ainda não! Estamos bem no meio desse processo, porém, assim que eu der atenção a essa parte. Tão logo que ele estiver acertado, estarei twittando sobre ele como um macaco com a banana na última prateleira.

Fonte:
Man Made Movies

Nota: Desculpem os erros. Mais tarde farei uma revisão, mas o principal está aí.

Alguns scans

Nenhum comentário

Alguns scans sobre alguns filmes estrelados por Jake Gyllenhaal:

Revista Set, março de 2010

Príncipe da Pérsia na lista dos filmes mais esperados de 2010:



Revista Set, agosto de 2003

Crítica de Donnie Darko:



Revista Set, setembro de 2006

Donnie Darko na lista dos filmes mais cultuados de todos os tempos:



Premiere de Portugal, fevereiro de 2006

Crítica do filme Soldado Anônimo, aqui com o nome de Máquina Zero:



Crítica do filme O Segredo de Brokeback Mountain:

Quem é o padrinho de Matilda Ledger?

Nenhum comentário

Há muito tempo que eu estava procurando este vídeo e finalmente o encontrei. Trata-se do momento em que perguntam para Heath Ledger e Michelle Williams quem é o padrinho de Matilda.

Na época, quatro meses após o batizado, ninguém sabia quem era o padrinho de Matilda. Especulava-se que o escolhido tinha sido Ang Lee. Até que na noite do Bafta, uma jornalista perguntou ao casal quem era o padrinho e eles responderam: Jake Gyllenhaal!

Assistam:









Fotos: IHJ e MIchelle Williams Fan

Perfil

Nenhum comentário

Vídeo que reúne algumas imagens de Jake Gyllenhaal em premiações e tapetes vermelhos

No vídeo temos Jake no Maui Film Festival, onde ele foi homenageado pelo conjunto da obra; ele ensina como pronunciar corretamente Gyllenhaal; aparece tirando fotos com as fãs; nos bastidres do Bafta 2006, ele fala da honra de ser indicado e que é cedo ganhar, mas que ele vai conseguir viver com isso:



Fonte: ME

Fotos de alguns eventos que aparecem no vídeo

Maui Film Festival 2005:



Premiere de Por Um Sentido Na Vida, onde fala como se pronuncia Gyllenhaal:



Em Palm Springs Film Festival com as fãs:



E mostrando pq ele é o mais belo ser vivo:



Mais uma foto, tirada no Independent Spirit Awards 2005, para confirmar que ele é o homem mais lindo do mundo, mesmo quase careca:



Na premiere de Vida Que Segue, onde ele fala da família e atuação:



No Bafta, após receber o prêmio de melhor ator coadjuvante por O Segredo de Brokeback Mountain:



Foi no Bafta que eu tive certeza que tinha me tornado fã de Jake Gyllenhaal. Minhas fotos favoritas daquela noite:




Fotos: IHJ

Fotos velhas e fotos novas

Nenhum comentário

Fotos da conferência de imorensa do filme A Prova no Festival de Veneza 2005

Foram postadas novas imagens antigas da conferência de imprensa do filme A Prova que ocorreu no Festival de CInema de Veneza 2005. Nas fotos vemos Jake Gyllenhaal, Anthony Hopkins e o diretor Joel Madden. A atriz Gwyneth Paltrow, uma das estrelas do filme, não estava na conferência devido a problemas com seu voo em Nova York.








Fonte: IHJ

De volta à Califórnia

Depois de um tempo em Martha's Vineyard, Jake Gyllenhaal voltou para a Califórnia. Ele foi fotografado no momento em que deixava um supermercado orgêncico em Hollywood, CA. As fotos são do dia 23 de julho:





Para ver mais: IHJ

Um dos melhores corpos do verão

Nenhum comentário

Jake Gyllenhaal está em oitava lugar na lista de melhores corpos masculinos do verão 2010 realizada pela revista Men's Health:



A foto acima, tirada em 07 de agosto do ano passado, é a mais recente de Jake Gyllenhaal na praia de Martha's Vineyard.

Para ver a lista completa: Men's Health


Entre Irmãos nas locadoras

Daniel, um dos nossos moderadores no orkut, nos avisou que Entre Irmãos já está nas locadoras. Ele tirou duas fotos do cartaz do filme:




Na última foto, há um trecho de uma crítica que diz que esta é a melhor atuação de Jake Gyllenhaal no cinema. Essa crítica foi publicada no Diário de São Paulo na época do lançamento do filme nos cinemas brasileiros:


Entre Irmãos



ANA PAULA ALFANO
ana.alfano@diariosp.com.br

“Entre Irmãos”, novo filme do diretor irlandês Jim Sheridan (de “Em Nome do Pai”, 1993), coloca mais uma vez as relações familiares no centro da trama. Sam (Tobey Maguire) é capitão do exército americano, marido amoroso da líder de torcida dos tempos do colégio (Natalie Portman), pai exemplar de duas lindas meninas e orgulho do pai, um ex-militar (Sam Shepard). Ele é o oposto do ovelha negra da casa, o caçula Tommy (Jake Gyllenhaal), que acaba de sair da prisão.

A situação muda quando Sam parte para uma missão no Afeganistão e o helicóptero onde está é abatido e ele é dado como morto. Não morre de fato, acaba capturado e torturado por homens do Talibã. Enquanto isso, nos Estados Unidos, seu irmão Tommy se sente na obrigação de amparar as sobrinhas e, claro, a viúva. Vira um cara amoroso, carinhoso, que faz de tudo para vê-las felizes. Jake Gyllenhaal está tão bem no papel (é de longe a melhor atuação) que fica difícil não torcer para Sam morrer de vez mesmo, deixando sua mulher em melhor companhia.

Quando o soldado é encontrado e volta para casa, nada mais é como era antes. Ele, inclusive. Destruído emocionalmente por causa de tudo o que viveu para sobreviver, pira ao imaginar o que pode ter acontecido entre sua mulher e o irmão. A ferida onde o filme quer tocar é que ninguém é inteiramente herói, nem vilão. Tudo depende das circunstâncias, dos caminhos que a vida toma e de quem está por perto.


Fonte: Diário de São Paulo

Uma velha entrevista com Jake Gyllenhaal

Nenhum comentário

A entrevista abaixo foi realizada na época do lançamento do filme Zodíaco no Festival de Cannes em 2007. Resolvi postá-la agora para aproveitar as novas imagens de Zodíaco que foram postadas no IHJ nesta manhã.

10 perguntas para Jake Gyllenhaal



O ator de Zodíaco, indicado ao Oscar de coadjuvante por O Segredo de Brokeback Mountain, em 2005, fala dos bastidores do longa-metragem de David Fincher e da diferença entre interpretar alguém real e fictício

Por Denerval Ferraro Jr

Época - O que o levou a topar esse projeto?

Jake Gyllenhaal - Obviamente, a chance de trabalhar com David Fincher. Já fazia um tempo que estávamos tentando fazer um filme juntos. Quando esse projeto surgiu, ele me procurou e aceitei na hora. Na época, os executivos queriam um nome mais conhecido para o papel, mas David me queria.



Época - Como você construiu o personagem?

Jake -
Não sabia muito da história. Claro, li o livro de Robert Graysmith e, tendo David como diretor, recebi um calhamaço de mil páginas com todas as informações sobre o caso, fotografias da cena dos crimes, documentos policiais, tudo. Em termos de pesquisa, estávamos bem municiados. Depois, encontrei com o Graysmith ao vivo, filmei-o, perguntei várias coisas.



Época - É a terceira vez que você vive no cinema pessoas reais, ou melhor, os autores dos livros nos quais se basearam os filmes. É mais difícil do que interpretar personagens fictícios?

Jake - Desta vez foi. Primeiro porque o filme lida com pessoas que foram mortas sem piedade e isso me obrigou a interpretar o personagem com a maior exatidão possível. Em segundo lugar, David sempre apontava coisas que tinha aprendido com o cara na vida real, só para me mostrar como eu estava errado (risos). Ali estava o exemplo vivo de como eu poderia melhorar. Foi bem duro, o filme mais duro que já fiz. Não foi fácil viver no mundo que esse cara vivia, por 120 dias.



Época - É complicado trabalhar com um diretor obcecado por detalhes?

Jake -
É uma faca de dois gumes. É ótimo saber que ele faz qualquer coisa para rodar um filme interessante. Mas emoções não são detalhes e te levam a caminhos inesperados, e você não pode controlá-las. Nesse sentido, um diretor controlador não é nada fácil (risos).



Época - Você já se viu obcecado por algo, como seu personagem?

Jake -
Não. Esse tipo de obsessão tem a ver com a dificuldade de enxergar a si mesmo por dentro. Então você se foca em coisas externas. Eu prefiro sempre descobrir o que está rolando dentro de mim.



Época - Por que você acha que o filme não foi bem nas bilheterias americanas?

Jake -
Bem, o filme tem duas horas e quarenta! Ver um filme longo é um tipo de comprometimento e não acho que a platéia, em geral, queira se comprometer com uma fita assim longa. A não ser algo baseado em Senhor dos Anéis, ou qualquer outra coisa que tenha toneladas de ação. Zodiac é, fundamentalmente, um filme cerebral. Talvez seja muito para a platéia.



Época - Por ser um filme de David Fincher, será que o público não esperava mais sangue?

Jake -
Talvez eles quisessem outro Seven. Mas David gosta de sacanear as pessoas e dessa vez ele sacaneou a platéia. Acho que ele pensou “Ah, é isso que vocês estão querendo? Então é isso que vou dar a vocês”. (risos). Eu acredito que, quando as pessoas mergulham na história, elas apredem muito com o filme.


Época - Como os escolhe seu roteiros?

Jake -
Tenho de sentir que vou embarcar numa viagem fascinante. Sempre foi assim e não creio que vá mudar. Recebo muitos roteiros, mas lutar pelos bons é que é a maravilha do negócio.



Época - Pretende voltar ao teatro?

Jake -
Teatro está sempre na minha cabeça. Muito em breve vou voltar o teatro. É a maior satisfação para mim estar no palco. Não financeiramente, mas em termos criativos.



Época - Como você lida com tanto interesse na sua vida pessoal?

Jake -
É meu trabalho, sabe. Muitas vezes é difícil não trazer trabalho para casa, mas você tem de aprender a separar as coisas. Mas às vezes sinto como se estivesse na escola primária. Parece que estou no pátio, feito um garotinho. Daí chegam as meninas e dizem (imitando a voz de uma garota) “A Jude gosta de você”, e depois saem correndo pela escola gritanto “O Jake gosta da Jude!” (risos). Quando os comentários chegam a esse ponto, eu me lembro que sou um adulto, e não um menino no pátio da escola. E tem outra coisa: eu escolhi esse trabalho e sei que essas coisas fazem parte - mas tem outras que são compensadoras. Então, não fico reclamando, pois é perda de tempo.





Fonte: Época e para ver mais: IHJ

Ang Lee falou sobre O Segredo de Brokeback Mountain

O diretor Ang Lee em entrevista para a revista DGA Quartelly falou sobre o Segredo de Brokeback Mountain:

Sobre a fotografia de Brokeback Mountain



Q: E sobre a sua abordagem visual para O Segredo de Brokeback Mountain?

A: Eu fui para Rodrigo Prieto [ Amores Brutos , Babel ] para O Segredo de Brokeback Mountain porque eu acho que ele é versátil, e eu queria alguém que pudesse fotografar rapidamente. Mas então eu pedi a ele para fazer o oposto do estilo frenético pelo qual ele é famoso , e ele foi capaz de me dar a tranquilidade , quase o olhar passivo que eu queria para Brokeback . Eu acredito que um talento é um talento.


Cena favorita



Q: Um dos momentos mais dramáticos de toda a sua obra é a cena em que Ennis Del Mar visita os pais de Jack Twist, no final de O Segredo de Brokeback Mountain. Como você foi aproximadamente definindo a situação?

A: Bem, isso se inicia muito antes a partir do momento em que você pisa no set. E essa cena é, como acontece, minha cena favorita do filme. É uma cena muito estóica, uma cena sobre uma pessoa que não está lá, mas tinha sido trazida para a vida de forma tão vívida por Jake Gyllenhaal, que todos esses personagens perderam . Para a minha inspiração visual busquei Andrew Wyeth, e também o pintor dinamarquês Vilhelm Hammershøi, para aquele vazio, portas brancas. Então a primeira coisa a fazer era encontrar a casa certa , o espaço certo, e é claro que eu entrerguei a tarefa para a designer de produção, Judy Becker. E para filmar aquela cena eu usei um estilo que eu tinha trabalhado em o Hulk. Eu filmei com duas câmeras, capturei os atores de ambos os lados , e depois troquei as lentes e fiz novamente. É uma maneira muito irregular de filmagem detalhada. Quando você os edita juntos, você pode aplicar certa ênfase à determinadas reações, emoções. Filmagem deste tipo pode confundir alguns atores. Mas é claro que não confundiu Heath[Ledger], Peter[McRobbie] e Roberta[Maxwell], tudo que eu amava. Foi um dia estranho. Eu queria muito sol para a cena, e eu consegui, e me lembro de caminhar pelo set e apenas senti que este ia ser um grande dia. Ainda assim, uma cena como essa, são os atores e os seus rostos, eles fazem tudo.




Fonte: DGA Quartelly

Scan

Aproveitando o comentário de Ang Lee, eu resolvi postar um scan da crítica do filme publicada na revista SET de março de 2006:



Brokeback no Festival de Veneza 2005

A imagem abaixo é inédita para mim. Trata-se de uma foto do momento em que Jake e Heath estão conversando um pouco antes da exibição do filme O Segredo de Brokeback Mountain no Festival de Veneza 2005:



Fonte: Minha busca

Nota: Ang Lee citou dois pintores como inspiração para a cena de Brokeback Mountain. Se alguém deseja conhecer o trabalho dos dois pintores basta clicar nos links: Andrew Wyeth e Vilhelm Hammershøi.