Seja bem vindo ao Gyllenhaalics, um blog totalmente dedicado ao ator Jake Gyllenhaal, que é conhecido por grandes filmes como Donnie Darko, Soldado Anônimo, O Segredo de Brokeback Mountain, Zodíaco, O Abutre e muitos outros. Obrigado pela visita e aproveite!

Jake Gyllenhaal: 'a nossa identidade é baseada em nossa alma'

Entrevista com Jake Gyllenhaal para o 20 minutos da Espanha:





Em Enemy, você interpreta dois papéis com personalidades muito diferentes, como você trabalhou neste duplo papel?

Comecei de uma forma muito simples, a partir de duas idéias, a de uma pessoa entrar em um quarto e não aceitar um "não" como resposta e a outra pessoa não aceitá-lo e ir ou pedir desculpas, mesmo envergonhado. Isto marca duas maneiras muito diferentes de lidar com uma situação ou de se relacionar com outro ser humano. Neste ponto, eu comecei a jogar com outras idéias e como queria que os personagens se comportassem fisicamente.

O filme explora a questão da identidade pessoal, o que você acha determina a identidade de um indivíduo? 

Na minha opinião, a nossa identidade é baseada em nossa alma, em nossas vidas passadas, nossas experiências como quando viajamos pelo universo e pelo tempo, e também a realidade que vivemos, como crescemos. Há também incógnitas que não podem ser definidas e que influenciam quem somos.

Acho que identidade é uma busca constante. Ninguém pode decidir exatamente como a pessoa será. No final, cada dia é uma luta para os pequenos triunfos diários tentando descobrir o que realmente queremos, se expressamos realmente quem somos ... É uma questão complexa e não acho que há uma resposta.


O que você faria se de repente você descobrisse que você tem um sósia?

 Eu não sei. Por alguma razão, a própria ideia não me assusta. No trabalho que faço me veio muitas vezes essa ideia durante uma premiere, um photoshoot ... Há uma espécie de ironia nesse processo, de modo que de uma forma estranha, estou acostumado a ter algo como "sósia"[dublê].

Enemy não é um filme comercial , um pouco longe do gosto do público em geral, o que você recomendaria para uma pessoa antes que fosse vê-lo? 

Tenha sempre em mente que este filme é muito brincalhão, é feita com um espírito travesso, assim o público precisa ter um pouco de sentido de humor. É sério, às vezes é um pouco assustador , mas eu acho que é também muito engraçado. Essa é uma parte muito importante do filme e, se óbvio , acho que parte da metade da experiência.

Em uma das primeira cenas, o protagonista fala sobre as técnicas utilizadas pela ditadura (reduzir o nível intelectual da população, limitar as informações, ...). Não acha que os governos de todo o mundo seguem usando essas técnicas?

A primeira coisa é que o filme fala de controle, e eu acho que é uma questão intrínseca ao ser humano, sempre à procura de maneiras de controlar os outros. Isso expande a política, os países, a indústria, o universo ... Mas realmente tudo sobre controle. Quando o filme fala de ditadura está tomando a mesma ideia, mas como o diretor, Denis Villeneuve, toda a parte do final interior fala sobre o ser humano.

Que outras mensagens você acha que o filme transmite?

Algumas das outras coisas que esse filme fala é que a realidade é muito mais complicada do que pensamos. Proteger-se, tomar decisões... nada é simples.


Agora que está na moda os filmes de ação e super heróis, você se destaca com um filme longe do mainstream. Você não gostaria de voltar a fazer algo como Príncipe da Pérsia?

Meu desejo é sempre de criar uma personagem completo, desenvolvido em todas as suas dimensões. Qualquer contexto em que possa fazer isso é bem vindo. Os filmes de ação me encantam, mas o que procuro é seguir trabalhando com as pessoas e os papéis que quero fazer, independente do gênero.


Em ambos os filmes comerciais e independentes...

Agora há uma ênfase estranha no tamanho dos filmes. É como se o propósito não é conseguir uma conexão com o público, mas com o tamanho do próprio projeto. Para mim a meta, o êxito, deve ser se conectar com o público. O ideal é se conectar com muita, muita gente de uma maneira honesta.


Para chegar aqui, eu aprendi muitas lições pelo caminho. Por sorte ou por desgraça, as mensagens precisam chegar a um número de pessoas. Se você ver a canção pop número 1, há poucas palavras e uma melodia simples, porque assim pode chegar a todo mundo, porém de vez em quando aparece algo mais complicado e de repente encanta as pessoas. E esse é o tema que me interessa.

O que faz Jake Gyllenhaal quando não está trabalhando?

Passo muito tempo com minha família. Todos vivemos em Nova York e dedico a eles quase todo o meu tempo livre. Tenho uma relação muito próxima a eles, são os mais importantes da minha vida.


Fonte: 20minutos






Nenhum comentário:

Postar um comentário