Seja bem vindo ao Gyllenhaalics, um blog totalmente dedicado ao ator Jake Gyllenhaal, que é conhecido por grandes filmes como Donnie Darko, Soldado Anônimo, O Segredo de Brokeback Mountain, Zodíaco, O Abutre e muitos outros. Obrigado pela visita e aproveite!

Entrevista e passeio em Los Angeles

Enquanto Contra o Tempo não estréia no Brasil, vamos ler mais uma entrevista de Jake Gyllenhaal durante o lançamento do filme.



O que atraiu você para um sci-fi?

Eu amo a idéia deste homem preso em uma situação onde ele deve resolver um monte de mistérios que desafiam o tempo e espaço. Eu também gosto da história de amor nele e misturar a ideia de que, como na vida, você pode estar sentado na frente de alguém, você percebe que esse alguém poderia ser o amor de sua vida e decidir o destino.

Muito do "Contra o Tempo" é definido em um trem, você ainda consegue andar em um incógnito?

Costumo pegar o metrô quando eu estou em Nova York, é a melhor maneira de se locomover. Consigo passar despercebido, mesmo que me sinto como no filme, estando no corpo do outro quando os vagões estão cheios de viajantes (risos)!

A experiência paranormal vivida pelo seu personagem levou a reconsiderar a maneira como você vê a vida?

Filosoficamente, acho que este filme mostra que a nossa vida é uma série de nascimentos e óbitos. Se nós decidirmos pagar atenção, podemos definitivamente melhorar a nós mesmos com as muitas oportunidades que são oferecidas a nós todos os dias. Tomar essas decisões é parte da vida adulta ... e eu sou forçado a fazer uma vez que eu comemorei meus 30 anos (risos)!

Se você tivesse mais de oito minutos para viver, o que você faria?

Eu acho que eu me reuniria com minha família e não seria para pedir desculpas pelos meus erros, mas sim para rir, porque é algo que eu adoraria compartilhar com eles. Mas é uma questão que é realmente difícil de responder, uma decisão que foi muito mais fácil tomar no filme. Eu acho que, na realidade, o tempo passaria e eu perderia meus últimos minutos na terra pensando sobre o que fazer (risos)!

E os últimos minutos também pode ser bom agora ...

Isso mesmo! Mas o que estamos fazendo aqui? Me desculpe, eu vou embora (risos)! É fascinante imaginar-se na pele de outra pessoa durante os últimos minutos de sua vida, quem você escolheria e depois também, o que você mudaria? "

E o que você escolheria?

Eu pensei em um milhão de coisas! Imaginei-me estar no corpo de personagens históricos como Abraham Lincoln, Martin Luther King ou John F. Kennedy. Se ele não tivesse sido assassinado, a história teria evoluído de forma diferente ... Como estaríamos agora? "

Quer tentar mudar os acontecimentos negativos no futuro?

Mas como eu ia tentar parar os desastres? Mesmo com o que está acontecendo no Japão, eu não saberia por onde começar! Do ponto de vista filosófico, há uma desvantagem de querer mudar o curso natural das coisas, há ramificações para todas as decisões ... No entanto, a oportunidade de salvar vidas e não para separar as pessoas que se amam, é uma idéia maravilhosa!

Você acha que os heróis deste mundo tem tempo para se apaixonar?

Você deve perguntar aos presidentes se eles têm tempo para se apaixonar, enquanto tentam salvar o mundo! Se nós estamos muito ocupados ou não, eu acho que todos nós temos tempo para se apaixonar. Eu acredito que o amor nos leva para qualquer um, seja uma esposa, namorada ou sua família, é definido pela forma como você vê e compreende um ao outro. Você tem que encontrar alguém em que você confia e que ama por quem você é.


Então você acaba de passar dos trinta, o que você fará durante esta década?

Meu objetivo final é criar um programa de computador incrível que permite entrar no corpo de outro ser humano nos últimos oito minutos de sua vida e mudar a história para sempre (risos)!


Fonte: Cinétele

De volta à Los Angeles

No domingo, dia das mães, Jake desfrutou de um almoço com sua mãe Naomi Foner:



Para ver as outras fotos: IHJ

Ontem, Jake no momento em que deixava o restaurante Murakami em Los Angeles:



Para ver mais fotos: IHJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário